almodovar
28 de Fevereiro 2016 10h

No Fio da Navalha: Conciliar o Montado com a Agricultura e a Pastorícia

COLABORAÇÃO: Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (Departamento de Conservação da Natureza e Florestas do Alentejo).

APOIO: Câmara Municipal de Almodôvar

A sustentabilidade do montado está relacionada com a aplicação de boas práticas de gestão, quer da componente arbórea, quer do respectivo sobcoberto. O seu declínio tem-se manifestado desde o século XX e as causas disto são de difícil diagnóstico, mercê da sua grande complexidade, uma vez que estão, na maior parte das vezes, fortemente interligadas. Pode dizer-se que tal resulta da interacção de múltiplos factores de desequilíbrio (bióticos e abióticos), o que dificulta a adopção de soluções tendentes à resolução dos problemas e ao restabelecimento da vitalidade dos ecossistemas – como é o caso das alterações climáticas e das pressões relacionadas com a economia da exploração.

Face à importância que estes espaços florestais assumem para o país e, em especial, para o Alentejo, tem existido, ao longo dos anos, um conjunto de políticas de incentivo à criação de novas áreas a eles dedicadas e à reabilitação dos povoamentos de sobreiro e azinheira, visando o seu rejuvenescimento e o aproveitamento da sua capacidade potencial de produção, ao mesmo tempo que se promove a protecção do solo e o combate à aridez.

Os novos povoamentos, sobretudo de sobreiro, necessitam de ser devidamente encaminhados. Não surpreende, pois, que as podas de formação se revelem essenciais para a condução das jovens árvores e a posterior extracção de cortiça. Não menos importantes são as podas das árvores adultas, tantas vezes realizadas de forma incorrecta, obrigando as árvores a um esforço vegetativo anormal, enfraquecendo-as e conduzindo a uma maior debilidade do arvoredo.

Sessão prática de demonstração do método que se deve actuar na poda de quercíneas, esta actividade visa a intervenção num projecto de arborização jovem, permitindo compreender a essência da engenharia florestal, avaliar densidades de povoamento, medir árvores e executar podas de formação. O objectivo final é contribuir para a valorização do montado português.